Log in

Street Bulldogs

O ano de 1998 foi de extrema importância dentro da história do Street Bulldogs. Foi ao longo dele que o vocalista e fundador Leonardo Kobbaz resolveu reformular a formação da banda e trazê-la de volta à ativa, após passar um bom tempo dedicando-se ao extinto quinteto straight edge Another Side. O período de “hibernação” foi quebrado com a gravação de dez novas músicas que inicialmente haviam sido planejadas para figurar em uma demo-tape. Ao ouvir as novas composições, o amigo André Tauil, vocalista do Zumbis do Espaço e proprietário do selo independente 13 Records, lançou a proposta de editar um CD. Tem New Songs é o nome do álbum que traz as 10 músicas e também algumas bônus, como é o caso de “Day By Day” e “A Man Who Asks Why” presentes na coletânea Monday Isn’t A Bad Day At All lançada em 96 e as 5 músicas do compacto Screaming For Anarchy de 94. Com uma nova formação e um primeiro disco pronto para ser divulgado, o Street Bulldogs foi praticamente obrigado a cair na estrada. Mesmo assim, o quinteto ainda teria que passar por uma significativa mudança em sua formação, ocasionada pela saída do baterista Aldo. Para substituí-lo em sua função, os remanescentes Leonardo (voz), Fábio Sonrisal (guitarra e voz), Guilherme (guitarra) e Dráusio (baixo), recrutaram o baterista Gordinho e com a formação estabilizada, tocaram em algumas cidades como São Paulo (nas matinês de Domingo do finado Espaço Cultural Livre), Santos, etc e também participaram do programa Ultrasom da MTV brasileira com a música “Adolf” e uma versão para “Tubthumping” do grupo americano Chumbawamba. Pouco depois disso, o guitarrista Guilherme também decide deixar a banda e é logo substituído por César, um antigo amigo da banda e curiosamente o skatista que atuou na vinheta contra o preconceito aos portadores do vírus HIV da MTV, que traz de fundo a música “We Build Our Own Way” do próprio Street Bulldogs.
Através do baixista Dráusio, César foi convidado e passou a integrar a banda no mesmo dia em que a vinheta estreou, no dia 1º de Dezembro de 98. O impacto causado pela vinheta e sua música de fundo foi tanto que acabou deixando os membros da banda e até a equipe da MTV impressionados devido à grande quantidade de e-mails curiosos em descobrir o nome da banda que tocava tal música. O que ocorreu na vida da banda no ano de 99 foram shows e mais shows realizados em diversos outros lugares. Além disso, a banda marcou presença dando suporte na maior parte dos shows que a banda americana Better Than A Thousand fez pelo Brasil, o que os levou a tocar em cidades como Belo Horizonte e Vila Velha, onde nunca havia estado antes. Após a turnê com o Better Than A Thousand vieram os shows com os nova-iorquinos do Agnostic Front onde a banda também participou como banda de apoio e desta vez, chegou a acompanhá-los até a Argentina onde fizeram dois shows em Buenos Aires e um na cidade de San Pedro com o próprio Agnostic Front e os grandes heróis do país, o quarteto Fun People, que dias depois estaria no Brasil em sua segunda turnê. De volta ao Brasil o Street Bulldogs teve pouco tempo para se reformular devido à saída do baterista Gordinho, substituído pelo atual baterista Santiago e com a formação estabilizada, aproveitou para divulgar seus mais recentes split CDs nos shows que fizeram com o Fun People nas cidades de São Bernardo do Campo e Guaramirim-SC. O 1º split, com a banda americana Turnedown, que traz membros do finado quinteto straight edge Strife e o atual baixista da banda de rapcore Downset e faz um som que trilha o rastro de bandas como Lifetime, Big Drill Car e Black Train Jack.